Igreja ativa ou ativista

Esfriamento espiritual é igual a não participar das atividades da igreja?
Esse é um assunto polêmico.
A maioria dos pastores quer ver suas igrejas lotadas e todos os membros participando de tudo o tempo todo, e quando não participam, já se preocupam se há um esfriamento espiritual.
A preocupação é válida, afinal são pastores que se preocupam com seu rebanho. Mas eu acredito que a análise individual neste sentido é mais importante do que a análise em grupo.
Se o pastor ou líder, conhece bem cada membro, é mais fácil de entender o porquê não tem frequentado tal atividade ou até mesmo os cultos domingueiros. Muitas vezes não é um problema espiritual e sim de saúde, trabalho, ou outras coisas que parecem banais como lazer, porém não acho que seja.
Vivemos em um mundo onde homens e mulheres trabalham. Se o tempo que eles tem pra ficarem em família e terem seu lazer, é preciso ser no horário de alguma atividade da igreja, que assim seja. Afinal, nossas prioridades devem ser: primeiro Deus, depois a família e depois a igreja. O seu alimento espiritual pode vir de pregações e estudos na igreja, mas deve vir em primeiro lugar do seu próprio momento com Deus, de leitura da Bíblia e oração.
Eu não estou aqui, de modo algum, desincentivando uma participação ativa na igreja. A igreja é importante, é uma instituição criada por Cristo, onde temos apoio mútuo como irmãos em Cristo, onde juntos podemos fazer mais pelo Reino e onde aprendemos mais sobre as coisas espirituais. Eu sou uma “rata” de igreja. Porém, não concordo com a excessiva preocupação em relação a números de participantes de atividades e cultos.
Também não estou dizendo que o pastor deve chegar e dizer: venha se quiser e puder. Mas no fundo é assim. A decisão de participação é individual, e cada um sabe a rotina que tem, e na maioria das vezes o problema não é pessoal com o pastor ou líder. Nós como líderes devemos parar de achar que as pessoas vão participar 100% de tudo, o tempo todo. Há pessoas que podem e que irão. Glória a Deus por elas. Mas há pessoa que precisam do seu tempo em família. Precisam de um tempo de estudo. Precisam de um tempo de lazer.
Neste post eu não estou falando dos que estão desviados realmente, mas daqueles que são crentes fieis, mas que tem o seu trabalho secular, que hoje em dia é muitas vezes exaustivo, e precisam além de ir à igreja, de tudo isso que eu já falei (família, lazer, descanso), e de um tempo para si.
Uma igreja ativa é muito bom. É bom ver todos os ministérios funcionando e as atividades acontecendo diariamente. Porém, uma igreja ativista, que só está preocupada com a quantidade de atividades que realiza e com os números dos participantes, é uma igreja que está sobre perigo. O perigo do julgamento, de da superficialidade.
Ter uma igreja lotada e com todas as atividades cheias, não é sinônimo de uma igreja forte espiritualmente. Seria bom pararmos com esta preocupação “orgulhosa”, digo orgulhosa porque no fundo queremos dizer “a minha igreja tem tantos mil membros”, como se isso fosse um índice de melhor igreja.
E fazermos a nossa parte individualmente, sem olhar quem não está fazendo.

Anúncios

Sobre ainconformada

Cristã inconformada com este mundo.
Esse post foi publicado em Vida Cristã. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s